sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Cortes na Despesa - a Ruína das Autarquias

O Secretário de Estado da Admnistração Local, José Junqueiro, anunciou que os desabridos cortes na despesa que o Governo tem vindo a anunciar, mais uma vez, vai atingir as autarquias locais. O ano passado foram espoliadas de 100 milhões de euros. Agora, segundo contas da ANMP vão 'sacar-lhes' mais 150 milhões de euros. Enquanto isso, todos os institutos onde se albergam as clientelas partidárias desempregadas, direcções gerais e nacionais onde habita a mesma fauna, ficam de fora desta fúria. Compreende-se a táctita política. Onde estão os 'boys' fica tudo na mesma. Onde as populações confrontam o poder em primeira instância, nas autarquias, toca a a rapar o fundo do tacho até não haver mais. É vergonhoso e revoltante. Só quem é eleito numa Câmara Municipal ou numa Junta de Freguesia percebe o grau de desespero da população. De famílias desempregadas, com filhos a estudar em ritmo de sobrevivência, de pessoas sem condições para pagar a renda, a água, os medicamentos, com filhos desempregados, por vezes há anos, sem um túnel de esperança que não desemboque no poder local. E não é só isso. No seu conjunto, o poder local representa perto de 6% da dívida pública. 94% dela está nos Institutos e Direcções Gerais. Querem cortar e ajudar o país? Dou um exemplo. que já não é a inutilidade preguiçosa dos Governos Civis. Um PDM para ser aprovado, um Plano de Pormenor, um Plano de Urbanização, seja qual for o instrumento de ordenamento do território precisa de ser analisado e aceite por ....28 entidades diferentes!!! 28 institutos, comissões, direcções. A esmagadora maioria deles apenas com uma (in)competência: atrasar processos. Conheci ao longo destes cinco anos neste território de burocratas as piores e mais incapazes pessoas. Apeans interessadas no seu pequeno poder pessoal, apenas interessadas no seu umbigo com um desprezo absoluto pelo serviço público, pelas expectativas das populações, pela possibilidade de investimento que enriqueceriam o país e daqui fogem como o Diabo foge da Cruz amedrontados com esta engrenagem burocrática que nos tem levado à ruína. Não será possível um acto de gentileza à inteligência mediana e reduzir tudo isto a dois ou três entidades fiscalizadoras? Claro que é possível. Poupavam-se milhões e, mais, atraíam-se milhões disponíveis a acelerar o investimento num tempo em que cada vez mais tempo é dinheiro. Mas sobre isto o senhor Secretário de Estado da Admnistração Local não fala. Cala-se. Ignora. Cortar nas autarquias. Os autarcas que aguentem o descontentamento porque para estoirar dinheiro à tripa forra lá está o senhor Secretário de Estado e a equipa a que pertence. Pior do que a miséria física a que chegámos, é esta miséria moral. Este cinismo manipulador de números. Assim não dá. É que não dá mesmo!

5 comentários:

  1. Caro Dr Moita Flores
    Se todos tivessem a sua coragem e a sua forma de estar, de servir a causa pública e de fazer obra,este Mundo seria certamente melhor. Incomoda muita gente a sua frontalidade e a sua dificuldade em lidar com a ignorância que muitas vezes o levam a não ter a paciência necessária para lidar com os medíocres e com os politicos de carreira que mais não fazem do que se contorcerem de acordo com as mudanças, por forma a não cairem dos seus poleiros ou, se isso acontecer, o façam em cima de outro poleiro. Ler Eça de Queiroz é transportar o pior da politica para os nossos tempos e perceber a sua actualidade. Sem dúvida que o tirocinio da vida real, o sentir directamente as dificuldades das pessoas, o presenciar da pobreza quantas vezes envergonhada, nos dá uma visão da inutilidade de todo o materialismo a que uma corja de inúteis se agarra na ânsia de poder. Devia ser quase obrigatório que os politicos começassem pelo degrau mais baixo e mais próximo das pessoas. As freguesias ou que, como o Senhor, tivessem passado pelo contacto com o ser humano na sua mais baixa condição de pessoa. Corríamos o risco era de haver falta de politicos.
    Bem haja pela sua coragem e pelo seu trabalho. A maioria dos Scalabitanos estão consigo porque foram necessárias quase três décadas para que Santarém tivesse um Presidente de Câmara da sua estatura, com a sua coragem e com a sua obra.
    Nuno Alves Ferreira

    ResponderEliminar
  2. Boa tentativa Sr. Moita Flores de cercear as minhas boas-vindas à blogosfera que o sr. tanto desprezava.
    Como verdadeiro autarca que se gaba da coragem e da frontalidade, o senhor decidiu cortar o meu comentário e apenas manter o comentário de um tal sr. nuno alves ferreira, que, ao que parece, é o sr. próprio (pela prosa) disfarçado.
    Isso, continue a louvar-se a si próprio, era isso que os ditadores faziam. Heil Flores! Cá para mim, a "corja de inúteis (que) se agarra na ânsia de poder" está muito bem representada pelo seu exemplo.
    Caro senhor presidente, tenha paciência para lidar com a ignorância da mesma maneira que tem paciência para lidar consigo próprio, afinal a queda do seu poleiro pode estar para breve...

    ResponderEliminar
  3. Pedro Marques,se é este o seu nome: Tentei escrever-lhe para o seu email para responder à sua diatribe. Dá erro.Esconde-se.E torna a usar a blogosfera que tanto preza e me atribui pensar que desprezo. É da sua natureza julgar os outros por si.Ainda por cima delira e insulta-me, insinuando que assino por Nuno Alves Ferreira. Quanto à coragem, deixe-se disso. Não sabe do que fala. Ainda andava à aprender a insultar pessoas na blogosfera e já tinha eu, que estou a começar a ficar velhote, dado provas dela na prisão de dezenas de criminosos perigosos que não se escondiam em delírios. Fica por última resposta. Cortarei todos os comentários que não possa comentar.Quer ser civilizado, estou aqui. Para o resto, despreze-me. Sabe-me bem.

    ResponderEliminar
  4. Removi uma mensagem anterior por não ter visto com pormenor a mensagem desse tal de pedro marques, o mandrake da blogosfera. Agora sim vou dizer a esse tal individuo que sou cidadão de nome completo Nuno Miguel Vieira Alves Ferreira, portador do BI 4856645 residente em Santarém há 47 anos e que, por educação, assumi sempre perante a vida aquilo que de mal ou bom fiz sem necessitar de me esconder cobardemente atrás do que quer que fosse. E sim, sem medo ou vergonha reconheço no Dr. Moita Flores o melhor Presidente que a C.M de Santarém alguma vez teve. E sim, reitero tudo o que disse no comentário anterior e não será nenhum mandrake de opereta que me coibirá de apoiar quem muito bem entender. E sim, Dr. Moita Flores, continue a ter paciência para com os pobres de espirito. E sim, Dr Moita Flores, gente menor não merece atenção. E tal como o nosso Presidente não perderei mais tempo com essa pessoa que procura tempo de antena, enquanto não tiver coragem e a educação de assumir a sua verdadeira identidade. Nuno Alves ferreira

    ResponderEliminar