quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Faltam Cortes na Despesa, Sobram Impostos

Já se suspeitava. A função pública vai pagar as maiores favas da crise e a população em geral vai ter vida mais difícil. Houvesse mais vontade e possívelmente poder-se-ia cortar muito mais despesa e não colocar o país de tanga.Para que servem os Governos Civis? Nada. Zero! Apenas para empregar deserdados dos maiores cargos da política. São milhões de euros que custa dar de comer a tanto militante à espera de um lugarzinho mais decente.Dezenas de serviços, institutos, direcções gerais cujos objectivos se sobrepõem, superlotados de desempregados da política, burocratas cujo umbigo vale mais do que o país, que esvaem milhões e milhões em inutilidades absolutas.Permita-se que se premei o mérito e a competência em vez de aturar e suportar centenas, milhares de 'boys' especialistas na intriga, na coscuvilhice, na mediocridade, que oneram em muitos milhões a administração pública e local.Concordo que não haja reformas simultâneas com remunerações de ordenado. Mas entreguem-nos instrumentos ágeis e rápidos de despedimento para aqueles que fazem da função pública um mero part-time, servindo outros que não o povo que lhes paga. Sobram impostos. Vão pagar os mesmos de sempre. E a fome vem aí. Tal como na crise dos anos 80. Que maldição é esta que persegue este país? Que condenação é esta que faz da pobreza mais pobreza, passem séculos, décadas, anos? É preciso reagir, é certo. Os nossos putos não se alimentam de amargura. O seu futuro vale todas as mágoas que vivemos. Mas porra, pá! Será que isto não tem fim?

Sem comentários:

Enviar um comentário