domingo, 28 de novembro de 2010

O Ex-Secretário de Estado e o Bastonário




O Secretário de Estado da Justiça, dr. João Correia demitiu-se. Tenho pena. Para além da amizade pessoal é uma figura pública que considero e por a qual nutro admiração. Porém, foi infeliz na sua decisão, caso tenham sido verdadeiras as razões vindas a público. Ninguém se demite porque já fez tudo aquilo que tinha para fazer. Ainda por cima,apenas  após um ano de mandato. E sabe-se que não fez tudo. Por exemplo, os Tribunais para Santarém, anunciados pelo 1º Ministro em Santarém, na Escola Prática de Cavalaria, no dia 25 de Abril, continuam no papel. Fica essa sombra no seu curto, precipitado e rápido mandato como governante. Porém, sejam quais forem as razões que levaram ao seu pedido de demissão, não é possível transformá-la num processo de intenções ocultas como fez o meu amigo Marinho Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados. Confesso que não percebo como dois homens civilizados, educados, cultos, embora com perspectivas de vida diferentes, possam perpetuar-se eternamente numa discussão, por vezes insultuosa. Marinho Pinto não quer os Tribunais em Santarém. É a sua visão jacobina do poder. O que não for em Lisboa, não é poder. E acusa o outro de querer os tribunais nesta cidade para, mais tarde, ser seu presidente de câmara. Admito, que sendo eu presidente dessa mesma Câmara, não veja nesse putativo projecto pessoal nada de mal. Pelo contrário. Se Marinho Pinto tivesse razão, e a lei permitisse, de imediato eu entregaria o cargo a João Correia, desde que viesse com a certeza que os Tribunais começariam a ser construídos em Santarém. Como ele diz, e bem, numa entrevista publicada há dias, são uma grande âncora para o desenvolvimento desta região. E para a Justiça, já que se fixam num dos eixos de mobilidade estratégica do país. Porém, esse poder não pertence ao Presidente da Câmara. Pertence exactamente ao Ministério da Justiça que....João Correia abandonou.
Tenho pena que tivesse saído. Perdemos um bom Secretário de Estado. Tenho pena que Marinho Pinto persista numa visão jacobina, centralista, atávica das suas ideações sobre tribunais. Sobretudo tenho pena que estes dois homens brilhantes, que estimo, percam a compostura quando se atiçam publicamente. A ambos desejo felicidades.  Ao Dr. João Correia na sua vida profissional. A Marinho Pinto no novo mandato à frente da Ordem dos Advogados.Quanto aos Tribunais espero que o Governo cumpra os propósitos anunciados com pompa e circunstância em Santarém. Saberemos agradecer. Sentimento de gratidão não falta às gentes de Santarém.

Sem comentários:

Enviar um comentário