quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

FERNANDO PESSOA: Encontrei-o. Lia o jornal no Martinho da Arcada e, em desespero disse-me isto:






Não venhas sentar-te à minha frente, nem a meu lado;
Não venhas falar, nem sorrir.
Estou cansado de tudo, estou cansado 
E quero só dormir
Dormir até acordado, sonhando
Ou até sem sonhar
Mas envolto num vago abandono brando
A não ter que pensar
Nunca soube querer, nunca soube sentir, até
Pensar não foi certo em mim.
Deitei fora entre ortigas o que era a minha fé, 
Escrevi numa página em branco, 'Fim'.
As princesas incógnitas ficaram desconhecidas, 
Os trono prometidos não tiveram carpinteiro
Acumulei em mim um milhão difuso de vidas,
Mas nunca encontrei parceiro.
Por isso, se vieres, não te sentes a meu lado, nem fales,
Só quero dormir, uma morte que seja
Uma coisa que me não rale nem com que tu te rales -
Que ninguém deseja nem não deseja.
Pus o meu Deus no prego. Embrulhei em papel pardo
As esperanças e ambições que tive, 
E hoje sou aoenas um suicio tardo,
Um desejo de dormir que ainda vive.
Mas dormir a valer, sem dignificação nenhuma, 
Como um barco abandonado, 
Que naufraga sozinho entre as trevas e a bruma
Sem se lhe saber o passado.
E o comandante do navio que segue deveras
Entrevê na distância do mar
O fim do último representante das galeras, 
Que não sabia nadar.

2 comentários:

  1. Também gosto de encontrar o Fernando Pessoa no Martinho da Arcada. Gosto de escutar os poetas quando dou passos entre os chaparros do meu Alentejo. Sim, sou proprietário do Alentejo. Por isso sou rico. Sou porque oiço os poemas da vida no vento que teima em soprar entre as folhas teimosas, voltando sempre ao lugar inicial na pernada onde nasceram Gosto, gosto muito de escutar os poetas na minha natureza, naturalmente na natureza dos homens que fazem deste mundo um mundo melhor. Gosto da natureza das coisas quando as coisas também são o motivo do nosso olhar de Homens feitos natureza!

    ResponderEliminar
  2. Boa noite Dr. Moita Flores. Chamo-me albino Gomes e fui seu aluno na 1a pós graduação em ciências criminais no antigo instituto de ciências da saúde do sul, no monte da Caparica. Sou enfermeiro forense e gostaria de conversar consigo. Deixo aqui o meu email, e seria demasiado pretensioso da minha parte solicitar o seu contacto? Muito obrigado. albinomanuelgomes@gmail.com

    ResponderEliminar